A mais recente produção da Editus – Editora da UESC – é o livro Saúde Coletiva: dialogando sobre interfaces temáticas. Organizado pelos professores Marcos Bagrichevsky e Adriana Estevão (UFES), ele reúne artigos de pesquisadores de todo o país sobre uma das temáticas mais importantes da atualidade: a excessiva medicalização da vida e o desafio dos profissionais da saúde no contexto de um mercado que movimenta interesses financeiros, políticos e midiáticos em nome do bem-estar dos indivíduos. 

Os pesquisadores alertam que é justamente em nome da qualidade de vida que o discurso para a medicalização se afirma. Para eles há uma tendência em tratar a humanidade como doente. Como resultado disso, estão os diagnósticos precoces, os tratamentos sem investigações mais profundas e a recorrência ao uso de terapias de forma indiscriminada. Os autores ainda destacam que a definição de estados de doença é cada vez mais comum, criando rótulos individuais que não levam em conta a coletividade, independente da classe social ou fase da vida. 

O livro é divido em quinze capítulos, onde o leitor vai encontrar temas como biopolítica, obesidade, estética da saúde, desigualdades sociais, estilos de vida, políticas públicas, entre outros. Neles, os pesquisadores se debruçam sobre a necessidade de considerar que há outros fatores, de ordem política e social, que precisam ser levados em conta para definir estados de doença. Para eles, não são apenas os indivíduos e seus maus hábitos ou somente o Estado os únicos responsáveis pela relação saúde-doença. É preciso uma conjunção de esforços. 

A pergunta que move as reflexões do livro Saúde Coletiva é até que ponto a medicalização exagerada pode ser considerada benéfica para as pessoas e como os profissionais da área podem criar formas de resistência a esta situação. As pesquisas destacam que no Brasil o universo acadêmico e os serviços de saúde têm caminhado juntos na busca por soluções para os problemas coletivos de saúde. 

Para os interessados na temática, o livro já está disponível na Livraria da Editus, no Centro de Artes e Cultura Paulo Souto, na UESC. O título está disponível também na Livraria Papirus, em Ilhéus. Na internet, o leitor poderá encontrar as publicações nos sites <www.livrariacultura.com.br> e <www.bookpartners.com.br>. Pedidos podem ser feitos também pelo e-mail <[email protected]> ou pelo telefone 73 3680-5240. 

Para aqueles que preferem a versão virtual, a Editus já disponibiliza esta publicação em formato digital no site <www.uesc.br/editora>. O leitor pode baixar gratuitamente a obra em pdf. Estas e outras obras fazem parte do projeto Editus Digital, que visa democratizar o acesso ao conhecimento e valorizar as produções regionais.

(Fonte: Editus Uesc)