pm ilheus secom ponte ilheus


Hospital Regional Costa do Cacau recebe alunos de medicina da UESC para internato hospitalar 

0
157

Como instrumento fundamental para saúde pública no sul da Bahia, o Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), em Ilhéus, além de prestar atendimentos médicos, contribui com a formação profissional de alunos de diversos cursos de ensino superior, como enfermagem, biomedicina, entre outros.

Dentro desse contexto, a unidade hospitalar recebeu essa semana nove estudantes, do sexto ano do curso de medicina, da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), para acompanharem as atividades médicas no HRCC, por meio de um estágio supervisionado (internato hospitalar), com orientação de médicos graduados.

Esta é a primeira vez que uma turma de medicina da UESC estagia de modo integral na unidade. Durante o período de 11 semanas, esses alunos atuarão na Emergência, Enfermarias e Unidade de Terapia Intensiva (UTI), com atendimento diário e plantão, sempre sob supervisão de um médico qualificado e especializado em cada um destes setores assistenciais.

Após a conclusão desse internato, outros alunos do mesmo período chegarão ao HRCC, para continuar o estágio em Saúde do Adulto II, disciplina com 600 horas de teoria e prática, com atividades assistências, aulas, discussões de casos, seminários, acompanhados e orientados por médicos do HRCC e professores da UESC.

A médica Rosângela Melo, coordenadora da clínica médica do HRCC e vice-coordenadora do curso de medicina da UESC, destaca que a universidade deseja o Costa do Cacau como hospital escola da universidade, uma instituição de ensino superior estadual atuando dentro de uma unidade hospitalar própria da Secretária de Saúde do Estado da Bahia (Sesab).

Além disso, Rosângela Melo destaca a importância da experiência no HRCC na formação desses futuros médicos. “Aqui esses alunos serão acompanhados por profissionais e equipe multidisciplinar altamente qualificados. A formação de profissionais médicos e de outras profissões da saúde aptos para atender a população, ocorrendo em hospitais da rede pública de saúde, permite trazer ao estudante melhor entendimento as múltiplas dimensões da questão saúde pública”, avaliou.

A médica assegurou que isso envolve também a compreensão de que o atendimento é a cada pessoa, com qualidade técnica, humanizado e digno. “É nessa realidade que as pessoas precisam se formar”, enfatizou.

Os estudantes têm boas expectativas do estágio no HRCC. Para Débora Boneta “um hospital de grande porte, com muitos pacientes de diversas áreas e complexidades, para nosso aprendizado isso é muito rico”, Ludmilla Vieira disse que “temos a oportunidade de visualizar quais são as dificuldades e qualidades do sistema estadual de saúde” e Marcelo Chaves ratificou que “a experiência é enriquecedora e as expectativas são boas”.

O médico Almir Gonçalves, diretor assistencial do HRCC, destaca que é com grande alegria, entusiasmo e satisfação, que a unidade dará início a mais uma meta estabelecida pela gestão IBDAH ao HRCC, a educação integrada a UESC, aos alunos de medicina. “Nosso hospital conta com estrutura exuberante e segura, equipe qualificada e eficaz voltada ao atendimento integral do paciente de forma humanizada e acolhendo os familiares com respeito e informações precisas, evolui com o início das atividades voltadas ao ensino dos futuros médicos em nossa região”, disse.

Gonçalves enfatizou que o estágio supervisionado no HRCC proporciona conhecimentos atualizados na área da medicina e oportuniza a utilização dos métodos mais avançados disponíveis na instituição, ajuda a desenvolver a inteligência emocional, individualizar o cuidado com o ser humano e enxergar o paciente em sua plenitude e não apenas focar a doença.

“Não podemos permitir que a medicina se torne algo mecânico, superficial , mercantilista e egocêntrico, a UESC desde a fundação do curso de medicina trabalha na formação e qualificação do acadêmico com objetivo de formar seres humanos dignos, competentes e preocupados com o social, trazer este sentimento para o Hospital Costa do Cacau, cria a sinergia necessária e o ambiente adequado para formação destes profissionais e a boa prática da medicina”, concluiu Almir Gonçalves.

Publique seu comentário