Ilhéus: Justiça decreta prisão de suspeito de matar casal de colombianos

0
282
magno-rodrigues

Magno Rodrigues está foragido. Imagem: Facebook/Reprodução.

Do Blog do Gusmão

A informação é da delegada Andrea Oliveira, que comanda a divisão de homicídios da Polícia Civil em Ilhéus. Na manhã desta segunda-feira (21), em conversa por telefone com o Blog do Gusmão, Oliveira informou que a Justiça decretou ontem (20) a prisão do comerciante Magno Rodrigues, suspeito de envolvimento na morte do casal colombiano Andres Aluan Rey e Diana Paola Zuluaga.

Na noite da última sexta-feira (18), após denúncia anônima, a Polícia Militar encontrou os corpos de Andres e Diana no cemitério de Aritaguá, na zona norte de Ilhéus. Segundo a delegada, três homens perceberam a chegada dos policiais e fugiram do local. Quando a guarnição chegou, o corpo de Diana já estava parcialmente coberto por areia, numa cova rasa.

A Polícia Civil suspeita que Magno era um dos três homens que tentavam enterrar as vítimas. O comerciante passou a ser considerado foragido desde o mandado de prisão expedido ontem. Os investigadores tentam identificar os outros dois suspeitos com imagens de câmeras de segurança.

No local onde encontraram os corpos, os policiais apreenderam um veículo MMC/ASX, Mitsubishi, placa OZM-5151. A perícia técnica vai verificar se o carro foi usado no crime.

Segundo a Polícia Civil, casal pode ter sido morto ao cobrar dívida de empréstimo.

Segundo a Polícia Civil, casal pode ter sido morto ao cobrar dívida de empréstimo.

Ainda conforme a delegada, em outro ponto da cidade, no lava-jato Lavacar Gold, localizado na Avenida Ubaitaba, bairro Malhado, os policiais acharam a moto do casal colombiano, uma CG vermelha, placa OKR 1186.

Uma dívida de empréstimo feito pelo casal a Magno teria sido o motivo do crime, segundo a linha de investigação da Polícia Civil. Rodrigues teria pedido dinheiro emprestado aos colombianos para quitar débitos com outros credores.

Informações que ajudem a investigação policial podem ser encaminhadas anonimamente pelos telefones (73) 3234-8142 e 190.

Publique seu comentário