embasa


Polêmica do fechamento do Banco do Brasil é tema de audiência em Salvador

0
173
Polêmica do fechamento do Banco do Brasil é tema de audiência com vice-governador.

Polêmica do fechamento do Banco do Brasil é tema de audiência com vice-governador.

Nesta quinta-feira (14), no Centro Administrativo da Bahia, o vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico, João Leão, reuniu-se com o vereador Jairo Araújo, Wenceslau Jr, representando o Secretário de Trabalho, Emprego e Renda, Davidson Magalhães, Paulinho Silva, do Sindicato dos Bancários de Itabuna e região, Romeu Schiavon, da superintendência estadual do Banco do Brasil, Hermelino Neto, presidente da Federação dos Bancários BA/SE, Fábio Ledo, representando a comissão de empresa dos funcionários do Banco do Brasil, além do ex-prefeito de Ilhéus e secretário do PP na Bahia, Jabes Ribeiro.

A pauta do encontro foi a revogação do decreto que rompe o contrato de locação com a Agência Grapiúna, do Banco do Brasil, no São Caetano em Itabuna.
Na reunião foram apresentadas as preocupações e as consequências do fechamento da agência. Foi solicitado ao secretário a mediação no sentido de sensibilizar o prefeito Fernando Gomes, para permitir que o Banco cumpra os dois anos que restam do contrato, desde que nesse período o Banco do Brasil assuma o compromisso de instalar uma nova agência na área geográfica do São Caetano. O secretário se comprometeu em levar a questão também para o governador Rui Costa.

Na avaliação do vereador Jairo Araújo, o fechamento da agência representa um prejuízo a cidade, com consequências gravíssimas para a economia de Itabuna. “Estamos na torcida para que o Banco não encerrem as suas atividades, evitando prejuízos à nossa população. O prefeito pode fazer o que quer, tirar a agência, mas a população não merece ficar sem o atendimento.” afirma.
A agência situada no Centro Administrativo Firmino Alves, tem hoje 12 mil clientes e serve a mais de 70 mil usuários dos bairros circunvizinhos, que terão prejuízos com o fechamento da unidade bancária. A decisão é ‘questão pessoal’ do prefeito Fernando Gomes, que notificou a instituição em janeiro, revogando a permissão do uso do imóvel que a unidade ocupa, alegando motivo de interesse público. O Banco do Brasil informou o desejo de manter a agência, mas que, cumprindo o que determina a rescisão do contrato, a partir do dia 15 de fevereiro, sexta-feira, serão iniciadas as medidas necessárias à desativação da unidade para entrega do imóvel dia 9 de março.

Publique seu comentário