secom bahia

secom bahia


Artigo – Roda de Mulheres: Conhecendo o Feminismo

0
286
Ângela Cristina (Cris), presidente da UBM Ilhéus.

Ângela Cristina (Cris), presidente da UBM Ilhéus.

Por Ângela Cristina (Cris), presidente da UBM Ilhéus

Artigo sobre a Roda de Mulheres 25 de maio de 2019

União Brasileira de Mulheres – Ilhéus/BA

Em 25 de maio de 2019, uma nova roda de mulheres aconteceu em Ilhéus. O tema da vez foi Feminismo, conceitos centrais, política e economia.

Mais um momento de união dessas mulheres que vêm demonstrando cada vez mais interesse em entender a luta das mulheres, desde seu surgimento até os dias de hoje. Trazendo o tema para nosso cotidiano, a professora Aline Setenta nos ajudou a compreender melhor o tema e nos trouxe para perto dele, nos fazendo enxergar como a política e economia está presente em nosso dia a dia.

Entendendo os conceitos centrais do Feminismo, veremos que sempre nos encaixamos em alguma vertente. Definitivamente, vemos que, o que existe são “feminismo‘S”, ou seja, várias formas de luta das mulheres.

Historicamente os feminismos já passaram por três ondas, sendo a primeira no séc. XIX, quando se deu o seu surgimento, através das lutas por igualdades civis, políticos e educativos.

Já na segunda onda, veio em meados dos anos 50 – 90, quando se entendendo o sexo e o gênero como formas de opressão, surgem às identificações variáveis como sexo/gênero, raça e classe.

Já a terceira onda, após os anos 90, entra a interseccionalidade, entendem-se as diferenças e diversidades.  Muitas estudiosas da área já podem afirmar que estamos vivendo a quarta onda feminista, com início pós anos 2000, com a conectividade da sociedade em rede.

A UBM reconhece a multi discriminação que conecta sexo, gênero, raça, etnia, classe, orientação sexual e origem. Existe uma série de intersecções recíprocas entre as relações de dominação.

Entendemos que a opressão da mulher surge em seu confinamento no espaço doméstico, seu afastamento da produção social, que coincide com o surgimento das classes e da exploração. E que a volta da mulher à produção social em condições de igualdade, na legislação e na prática, é fundamental na sua caminhada libertadora.

O feminismo emancipacionista se expressa numa corrente de opinião que desenvolve ações políticas e campanhas de massa. Devemos atuar de forma que possamos levar nossas ideias e propostas onde quer que tenham mulheres, transformaremos um polo aglutinador da luta das mulheres por sua emancipação, inseridas na luta geral do povo brasileiro.

Ângela Cristina (Cris)

28 de maio de 2019

 

Encontro durante a roda de mulheres, no último sábado (25), na Tenda do Teatro Popular de Ilhéus.

Encontro durante a roda de mulheres, no último sábado (25), na Tenda do Teatro Popular de Ilhéus.

 

Publique seu comentário