Mais vacinas e planejamento para contemplar trabalhadores e trabalhadoras

0
177

Por Rodrigo Cardoso,  Coordenador da Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) – Ilhéus

Ontem, 22/06, a fila para vacinação contra a Covid-19 estava gigantesca, tanto nos drive-thrus, quanto nos pontos da Igreja São João Batista no Pontal e na Cruzada do Bem pelo Bem.

Provavelmente, a razão foi a aceleração da redução da faixa etária, que vinha acontecendo a cada dois ou três anos, por fase.
Agora, se diminuiu 7 anos, de maiores de 47 para maiores de 40. Com um público tão amplo, as enormes filas eram aguardadas.
São várias horas de espera em condições que não valorizam a dignidade e poderiam ser evitadas se seguisse nas reduções de faixas mais paulatinas. Muitas pessoas ficaram várias horas na fila e ainda assim não conseguiram se vacinar.

Segundo informações da secretaria de Saúde, as doses já acabaram e a vacinação já foi suspensa, o que revela as dificuldades nacionais para o cumprimento das etapas do plano de imunização, fundamental para preservar vidas.
Em especial, preocupa a condição de trabalhadores de diversos segmentos que não foram vacinados e dificilmente terão condições de ficar o dia inteiro na fila sem perder um dia de trabalho. É o caso de operários de várias indústrias, trabalhadores da construção civil, do comércio e dos bancos. População da zona rural, também tem relatado dificuldades para conseguir se vacinar.

Já que o Secretário de Saúde do Estado Fábio Vilas Boas definiu só agora que a vacinação deve ser realizada por idade, é preciso se pensar alternativas, como disponibilização no fim-de-semana ou à noite, para que trabalhadores e trabalhadoras de setores com horários de trabalho mais rígidos possam ter acesso a esse que é um direito de toda a população.

Publique seu comentário